- Books

K. Relato de uma Busca

K Relato de uma Busca Aclamado pela cr tica e finalista dos pr mios Portugal Telecom e S o Paulo de Literatura de K relan ado pela Cosac Naify por ocasi o da efem ride de cinquenta anos do Golpe Militar de com

  • Title: K. Relato de uma Busca
  • Author: Bernardo Kucinski
  • ISBN: 9788540506152
  • Page: 329
  • Format: Paperback
  • Aclamado pela cr tica e finalista dos pr mios Portugal Telecom e S o Paulo de Literatura de 2012, K relan ado pela Cosac Naify, por ocasi o da efem ride de cinquenta anos do Golpe Militar de 1964, com posf cio de Renato Lessa O romance de estreia do jornalista Bernardo Kucinski narra a hist ria de um pai em busca da filha que desapareceu, como tantos outros, durante aAclamado pela cr tica e finalista dos pr mios Portugal Telecom e S o Paulo de Literatura de 2012, K relan ado pela Cosac Naify, por ocasi o da efem ride de cinquenta anos do Golpe Militar de 1964, com posf cio de Renato Lessa O romance de estreia do jornalista Bernardo Kucinski narra a hist ria de um pai em busca da filha que desapareceu, como tantos outros, durante a ditadura no Brasil A narrativa a um tempo enxuta e sens vel de Kucinski feita de cap tulos quase independentes, apresentando v rios ngulos de uma mesma hist ria a hist ria da aus ncia e da impunidade.1 edi o, 2014

    • ↠ K. Relato de uma Busca || ↠ PDF Download by ☆ Bernardo Kucinski
      329 Bernardo Kucinski
    • thumbnail Title: ↠ K. Relato de uma Busca || ↠ PDF Download by ☆ Bernardo Kucinski
      Posted by:Bernardo Kucinski
      Published :2019-03-08T15:42:57+00:00

    1 thought on “K. Relato de uma Busca

    1. Las tres muertes de K. es un extraordinario texto que a través de la búsqueda del protagonista de la historia (K. por la verdad de la desaparición de su hija) nos abre un poco los ojos a aquellos que como yo, ignorantes de la verdad, descubren una vez más la maldad de la humanidad y la corrupción del poder en hechos de hace apenas 30 años. (leer más)

    2. "não é certo, os filhos é que deveriam enterrar os pais e não os pais enterrarem os filhos, pior que nem isso, nem enterrar podemos."

    3. If there was one single line in this book that jumped out at me, that summarised the absurdity of the situation it was this: “[H]is daughter had been chosen as ‘political prisoner of the year’.” If it wasn’t so sad it’d be funny. We’ve just entered 2018 and I write this so we’re being inundated at the moment with end of year lists. I wonder who won Political Prisoner of the Year 2017. There won’t be a father on the planet who won’t be delighted to learn his daughter’s been [...]

    4. A escrita leve apresenta com sucesso o peso da ausência, do não saber. Os contos que não tratam diretamente o sofrimento de K também são importantes e devastadores. Em tempos nos quais o pensamento conservador e totalitário parece querer voltar a dominar, ler um livro que retrata quem sofreu por consequência de um governo autoritário parece deveras oportuno.

    5. Achei “K”, do Bernardo Kucinski, um livro triste, doloroso, mas, ao mesmo tempo, muito necessário. No romance, o autor acompanha a jornada de seu pai, o K. do título, em busca de uma filha, Ana Rosa Kucinski, que desapareceu durante a ditadura sem deixar qualquer vestígio. Ela era professora de química na Universidade de São Paulo, e de repente parou de ir ao trabalho, não atendia às ligações do pai. Quando ele a procura na USP, descobre que há dias não aparece. Isso é contado po [...]

    6. a partir da experiência vivida com o desaparecimento da irmã Ana Rosa pela ditadura civil-militar instaurada em 1964, Bernardo Kucinski narra a trajetória de K. em busca do paradeiro da filha e acima de tudo na descoberta de sua vida que vai se mostrando tão diferente da que ele imaginava que ela tivesse. é um história que perturba por sua realidade, por falar de coisas que aconteceram, sentimentos de desamparo que ainda acometem tantos pais e mães que viram seu filhos, filhas e familiare [...]

    7. "Originally published in Portuguese in 2011 (the same year Brazil inaugurated its National Truth Commission to investigate the crimes of the military dictatorship), K is a compelling novel that illustrates how fiction can be a more powerful mode of bearing witness than testimony. Of the lamentably few contemporary Brazilian novels translated into the English language, K is certainly one of the most important to emerge in recent years." - Rebecca Atencio, Tulane UniversityThis book was reviewed i [...]

    8. " Caro leitor:Tudo nesse livro é invenção, mas quase tudo aconteceu" (B. kucinski) Um livro imperdível!História brasileira recente e tão enterrada. Terminei a leitura com um nó no estômago e me perguntando "onde eu estava quando tudo isso aconteceu" vivi e não vi, como pode!

    9. Un text fascinant i aparentment sobri sobre la kafkiana cerca d'una filla desapareguda per part del seu vell pare, en la terrible dictadura brasilera, i dels perversos mecanismes d'aquesta per seguir impune.

    10. Poderoso. Profundo. Triste. Muito bem escrito. Na versão da editora Cosac Naify, o livro traz ainda dois contos (sobre o livro) e um posfácio do professor Renato Lessa. Recomendadíssimo!"Aos poucos K. foi se dando conta de que havia um impedimento maior. Claro, as palavras sempre limitavam o que se queria dizer, mas não era esse o problema principal: seu bloqueio era moral, não era linguístico: estava errado fazer da tragédia de sua filha objeto de criação literária, nada podia estar m [...]

    11. o texto é muito bom e as reflexões, mesmo de um assunto já muito lido como a ditadura me deram boas perspectivas, acho que pelo ponto de vista pessoal do narrador. não lembro quando li e vendo as marcações que fiz hoje não me dizem muita coisa.

    12. Um livro que não se consegue parar de ler , como se nos juntássemos à busca do pai por sua filha desaparecida. Queremos que a encontre, queremos encontrá-la. Amor e dor em suas páginas. Tristeza e horror é o que senti, pelos tempos tenebrosos que nosso país viveu e que se quer esquecer e até, pasmem, reviver.

    13. espanadores/20Em abril de 1974 Ana Rosa Kucinski é desaparecida pela ditadura militar. Some do seu trabalho (era professora da faculdade de química da USP), não visita mais o pai Seu marido, Wilson, some junto. Eram militantes.Sumiram sem deixar nenhum vestígio. E deixaram aos amigos e familiares um rastro de perguntas, incertezas. E é justamente essa história, a daqueles que ficaram, que o livro explora (é bom lembrar que trata-se de uma ficção baseada em fatos reais). A narrativa acom [...]

    14. K.s Tochter ist verschwunden. Seit 10 Tagen ist sie nicht mehr bei ihrer Arbeit erschienen. Deshalb macht K. sich auf die Suche. Er fragt jeden, den er kennt. Spricht jeden an und jedes Mal, wenn er glaubt, einen Schritt weiter gekommen zu sein, lösen sich die Hinweise in Luft auf und er findet sich am Anfangspunkt wieder. Meine Meinung:Ich habe bereits einige Bücher über Militärdiktaturen in Südamerika gelesen. Sie waren berührend, traurig und die Machtlosigkeit, die solchen Regierungen e [...]

    15. O passado da ditadura civil-militar brasileira passado em revista pelo testemunho que mescla ficção e realidade de uma jovem professora de química da USP que desaparece junto com seu marido. Os órgãos da repressão negam o sequestro e a morte. Meio século depois do início da ditadura e quase três décadas de seu fim, são as lacunas da história e da memória que ainda falam alto, não deixando em paz os mortos e os sobreviventes.Os relatos divulgados pela Comissão Nacional da Verdade e [...]

    16. Li "K" no final de 2013, para uma disciplina do mestrado em História social. Dediquei algum tempo da minha vida a estudar a situação atual das pessoas que foram ou tiveram parentes perseguidos pela ditadura. Li muitos relatos sobre o assunto. Vi poucos serem tão contundentes e comoventes quanto esse, que é escrito por Bernardo, irmão de Ana Rosa Kucinski. No livro é criada uma narrativa para ela, no seu tempo de clandestinidade, e uma para seu pai, que dedicou seus derradeiros anos a tent [...]

    17. Thought provoking. How quickly we forget the disappeared in South America. This well written book (thank you translator) draws parallels and contrasts with the Nazi round up of Jews in Poland and the disappeared in S America.It is well written and each chapter could nearly be read on its own.It examines the different perspectives on the military regime in Brazil.Interesting / frightening that USA (the champion of the free world???) was behind these military dictatorships to prevent communism at [...]

    18. (I read this in English - don't know why the summary isn't. The ISBN does match)This book conveys the despair and horror of the 'disappeared', from the point of view of the victim's families, witnesses to the atrocities and the kidnappers themselves. It is hard to process, yet very important to know that this happened. The structure of the book served to confuse me as to the exact order of events, which was frustrating until I realized that this helped me understand the confusion and frustration [...]

    19. Stunning book - both in the sense of fantastic writing, and that it left me pretty speechless. I'm preparing for a trip to Brazil in coming weeks, and came across this recommended as a classic. I can't recommend it enough for those looking to learn more about the "disappearances" from a new perspective, or simply for people looking for a very (very!) engrossing story.

    20. Ficção e realidade se misturam nesse narrativa fascinante. O autor que teve sua irmã sequestrada, torturada e morta pela ditadura militar conta nesse livro a busca incansável de um pai pela filha querida durante esse período obscuro. Emocionante, intrigante e muito bem escrito essa obra mostra o retrato de um brasil que queremos esquecer mas que devemos sempre lembrar.

    21. ספר קצרצר ויוצא דופן, שאפשר ללמוד ממנו הרבה על הנושא, ולהצטמרר לא פחות.קשה לומר שנהניתי ממנו, כי הנושא קשה מאוד.הכתיבה טכנית במכוון, מכל נקודת מבט אפשרית, וזה לרגעים ממש מבלבל, אך עוזר למסר לעבור באופן חד וברור.ברור מה הסופר רצה להשיג - והוא השיג זאת.

    22. "O que mais me impressiona hoje é a nossa perda gradativa da noção de totalidade, não ver o todo. E ao não ver o todo, não ver as relações entre as partes, as contradições, as limitações. Ficamos cegos; totalmente alienados da realidade, obcecados pela luta armada."

    23. Deveria ser leitura obrigatória para todos os mentecaptos que ficam berrando pela volta da ditadura nas redes sociais.

    24. Um bom livro de ficção e memórias que se misturam formando um relato que coloca dentro do jogo o terrível tempo da ditadura.

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *